Zumbi: A Origem

Bem, diferente dos zumbis apresentados neste post, o TarrasCão não morreu!!

É curioso que tantos já tenham assistidos vários filmes sobre zumbis, mas poucos saibam como tudo começou!

Bem, foi em uma terra distante (Haiti) e num tempo, ha muito, passado(1932).

Além do título, do lugar e da época existem fatos interessante sobre essa produção:  O personagem principal transformava as pessoas  em trabalhadores zumbis com a ajuda de uma poção. O filme rendeu uma seqüência: Revolt of the Zombies (“Revolta dos Zumbis”), de 1936.

Poções e professores malucos, esse foi o perfil de filmes sobre zumbis até 1968, quando os cadáveres putrefatos ganharam sua chance: “cérebros!!”, em Noite dos Mortos-Vivos, que teve duas seqüências e uma delas, Zombie, Despertar dos Mortos (1978), foi refilmada com o nome de Madrugada dos Mortos (2004).

O interessante é que nesses filmes ninguem chama os zumbis por ‘zumbis’. Não havia nada como: “meu deus! Os zumbis querem meu cérebro!!!” Isso não aconteceu por acaso, os criadores queriam passar a ideia de ‘ninguem sabe o que está acontecendo!”

Bem, é engraçado como filhos pródigos tendem a voltar! Pois é, pode parecer que não, mas filmes zumbis voltaram ao perfil de poções mágicas! Bem… não mágicas… nem poções… Mas em forma de contaminação viral, uma vez que é menos impossível um monte de gente se contaminar (enquanto vivos) do que um monte de cadáveres se levantarem do chão e gritarem “cérebro!” (a saber Resident 1 2 3 e 4, Eu sou a Lenda, Extermínio 1 e 2 (o 2 é uma bosta) e REC – interessante – são todos por contaminação viral)

É isso ai. Na sequencia (qualquer horário livre daqui pro natal) vem o restante do post. Mais curiosidades, jogos e coisas de zumbi! Além de comentários sobre os zumbis mais bem produzidos (os filmes… quis dizer) (os hiperlinks serão adicionados aos poucos)

Tarrascada do Mago: Viagem no tempo [2]

Como nosso bom amigo falou, os Wormholes (buracos de minhocas – analogia porca tirada do estrago que vermes fazem em maçãs) são possíveis meios, naturais, de se transpor o tempo e espaço. Não possíveis, ainda não, mas se especula muito sobre este fato. A saber existem vários tipos desses buracos, mas falamos apenas dos que ligam tempo. Então… considerando que existam mesmo e que, ainda, tornem-se estáveis o suficiente para alguém tentar atravessá-lo e que ao fazê-lo não se desintegre e chegue vivo ao outro lado, teríamos caracterizado uma viagem no tempo.

Wormholes

Wormholes

A pensar… isso ocorreria se, e somente se, o tempo e o espaço não forem fenômenos sem atuação direta, que não passiva, aos demais eventos que acontecem por todo o universo. Desta forma eles estariam atuando para alterar eventos e situações criadas pelo mesmo (espaço-tempo); Isso seria suficiente, em minha porca (porca duas vezes num mesmo post?…) inteligência para responder ao meu questionamento do post passado. Uma vez que se o tempo é algo atuante, ele poderia se estender, se contrair, voltar e se refazer. Uma influência (vide post anterior) poderia ser desfeita e caracterizada a viagem… (nota: hum… interessante…)
O tempo e espaço, como fenômenos ativos poderiam (em teoria) arrumar esta brecha espaço-temporal e ‘roubar’ para que se possa ir e vir de um tempo/espaço a outro. É… quem sabe essa história não exista mesmo?

Tarrascada do mago: Viagem pelo Tempo

Imaginem uma bola… essa bola muda, altera-se, evolui a cada interferência externa. Por menor que ela seja. Vento, toque, até mesmo o fato de alguem passar por ela e a ignorar ou vê-la parada. Um simples andar do outro lado do mundo, traria mudança de estado para todas as particulas por onde o indivíduo andou, e consequentemente em tudo que se liga a tudo que foi mudado. (ann?? ainda estão comigo?)

Agora imaginem uma forma de fezê-la voltar ao que era antes de qualquer uma dessas interferências. MAS se você a riscou, não é o fato de você apagar o risco que a fará voltar ao seu estado anterior à sua interferência. Se você a jogou longe, não é o fato de trazê-la de volta para onde estava que a trará ao estado anterior.

Até onde isso tem a ver com viagem pelo tempo? ‘Simples’: como você alteraria o estado atual, de qualquer coisa? seja você mesmo ou o mundo em sua volta? Mesmo que você volte pelo tempo, falasse ao seu antigo eu: ‘ei, não faça isso se não…’. Isso traria uma mudança para o seu eu do passado. O problema seria: como você pode chegar à um tempo anterior a este se você, para isso, teria que desfazer toda e qualquer mudança ocorrida em todo o universo e tudo que existe? É por isso que não acredito em viagem no tempo.

Talvez, quem sabe com teorias sobre universos paralelos… que é outra coisa totalmente diferente. xD

e pois é… minha cabeça tbm acaba de ficar assim….