SSSUUUUUCESSO!!!

Pois é: esse tem futuro!!
Um exemplo, uma lição de vida… todos nós ‘guerreiros’ deveriamos nos espelhar nesse ícone brasileiro!

Além da letra, o que me deixou surpreso foi a performance de Maguila: que jogo de cintura, que presença de palco!!

O primeiro!

Bem, Santos Dumont era um sr. vagabundo que nao tinha o que fazer e ficava inventando coisas 😛

Alem do Relogio de pulso e do Aviao (sim, foi ele!) , ele catucou com balões e…com carros também!

Em 1897, nosso velhinho ocioso criou o primeiro carro nacional: O ‘1897 Santos Dummond’ (ele nao tinha criatividade para nomes).

santos dumont

Santos Dumont depois de muito meditar, desenhou um modelo e procurou a oficina de M.R. Cabreu, perto de sua residência. Aí executou, ele mesmo, com o auxílio dos operários da oficina, um motor diferente, que, em síntese, seria a superposição(sabe o que é isso?) de dois motores de triciclos em um só carter(uma parada de metal que protege a lubrificação) de modo a acionar um só eixo de manivela. A bugiganga todinha seria alimentada por um só e único carburador(isso na época era supimpa). Para diminuir o peso do motor eliminou várias peças que julgou dispensáveis – sem deixar o motor meia-boca, tudo que era grande ficava de fora, assim como os pequenos demais. Depois montou o que restou na carroceria de um veículo comum – e conseguiu um automóvel original para a época: leve, resistente, rápido e com três cavalos e meio de força(woo hoo). E o mais importante: com o possante motor pesando apenas 30 quilos. Isso em 1897 era supimpa, pois nunca, até então, se conseguira fazer uma máquina motriz com peso inferior a 10kg por HP.

Gurgel!

Bem, o Brasil sempre quis ter uma montadora de carros nacional…uma tentativa foi a Gurgel.

gurgel

Um sr. chamado Amaral Gurgel tinha uma vontade de desenvolver e produzir veículos no Brasil para brasileiros (100% nacionais). A Fábrica foi inaugurada em 1969 contruindo carros meio sem noção, de linhas quadradas e aprensentando um design curioso (pra nao dizer feio). Alguns modelos tinham a mecânica emprestada do Fusca, Brasília e Kombi.

Os primeiro Carros 100% nacional mesmo, sem dependencia da mecanica da VW, foram o Supermini (um hatchback) e o BR-800 ( sedã) . E num é que eles fizeram sucesso? Bem, eu vi por aqui na net que a redução (ou isenção, nao sei ao certo, na net cada um diz uma coisa) de IPI pros carros 1000 (ou 1.0) fodeu com os Gurgelzim =( (uma medida do Governo Collor).

Em 1993, o empresário da fábrica entrou com o pedido de concordata e, em 1994, fechou definitivamente as portas da Gurgel =~~

Curiosidades:

– Os diretores diziam que a fábrica não se tratava de uma ‘multinacional’ mas sim de uma ‘muitonacional’ (LOL)

– Conta-se que, na fábrica, existia um taco de beisebol para que os visitantes batessem forte sobre a carroceria para testar a resistência. Não amassava, mas logicamente o teste pouco comum era feito antes de o carro receber pintura (LOL)

– Em 2003, o registro da marca “Gurgel” foi expirada na INPI ( Instituto Nacional de Propriedade Industrial), e no ano seguinte ( no caso 2004, se você nao souber contar) foi comprada por um empresário malandrilson ai por 850 conto (LOL)! Isso mesmo! R$ 850,00! Só pra fazer uma comparação (humilhar, na verdade =/) a marca Ferrari tá estimada em US$ 3.52 bilhões ( e ainda sim ocupa apenas a 93a posição no ranking das marcas mais valiosas do mundo). Se não fosse Collor, será que ia ter a Scuderia Gurgel? Gurgel GP? Wallpapers 1600 x 1200 da Gurgel? Teríamos um Gurgel Concept no salão de Detroit? (LOL).

– A gurgel ainda existe, vendendo uns negocio agricola (LOL) e tem até site oficial: Gurgel Motores.

—-

Fui procurar anuncios de Gurgel na net. =x

Gurgel Rules!

Ranca-ovo

Bem, que todo marido e mulher tem uns arranca-ovo -rabo todo mundo sabe…mas aí tbm já é demais…

ovos-cozidos

“Mulher arranca testículos de companheiro com as unhas”

A dona de casa Lucimeire Rocha Cabral da Silva, 39, foi presa na tarde de ontem Corumbá, cidade que fica a 426 quilômetros de Campo Grande, por ter arrancado os testículos do companheiro dela com as unhas.

Segundo informações do site Capital do Pantanal, o caso ocorreu na Rua Gonçalves Dias, Bairro Aeroporto, onde o casal iniciou uma briga depois que João Carlos Francisco de Carvalho, 54 anos, passou a agredir Lucimeire.

Os desentendimentos entre o casal são corriqueiros e ocorrem sempre por conta da embriaguez da vítima. João foi socorrido e encaminhado ao pronto socorro municipal onde passou por uma cirurgia.

Depois de presa, Lucimeire teve uma crise nervosa e também foi levada ao hospital local.

——

retirado daqui.

Dicionario [C]

CABA/CABRA – referente a homem, menino, etc.

CABOCLINHO – O mesmo que cabocolinho. Bloco carnavalesco cujos participantes desfilam fantasiados de índio. O instrumento em forma de arco-e-flecha, marca o ritmo dos passos.

CABRA – 1. Sujeito, pessoa, elemento. 2. Fêmea do bode. 3. Mestiço de mulato e negro

CABRA BOM – (Ou caba bom ). Sujeito agradável, atencioso, educado, gentil.

CABRA DA PESTE – Homem forte, decidido. Referente a um homem ou menino de boa índole. Ex: Seu Chico ajuda a todos! Êta cabra da peste!

CABRA RÚIN – (Ou caba rúin ). Sujeito ruim, bandido, badernista, bagunceiro.

CABUETA – Variação de alcagüete, delator, dedo-duro.

CABUETAR – Variação de alcagüetar, delatar.

CABULOSO – que aperreia, nervoso, chato, peitica. Ex: Victor é cabuloso demais!

CACHETEAÇÃO – Variação de caceteação . Amolação, maçada: Deixa de cacheteação com a bola, jogador rúin!

CACIMBA – Escavação em baixadas úmidas ou leitos secos de rio, na qual a água se acumula como num poço.

CAFUÇÚ – Trabalhador braçal

CAGADO – Emprega-se para dizer que uma pessoa tem sorte: Fulano num (1) perde uma no dominó; ô bicho cagado! . (1) Ver verbete.

CAGANDO E ANDANDO – que não está nem aí, não está preocupado. Ex: Arier tá cagando e andando.

CAGANDO NA CABEÇA DA GALERA – vide “cagando e andando”.

CAIPORA – Indivíduo sem sorte e que dá azar; azarado, infeliz (Em Tupi, significa “morador do mato???.

CALDINHO – Comida típica. Uma espécie de sopa.

CALDO DE BILA – fraco, sem gosto

CALOTEIRO – quem deve e não paga. (Ex: Micróbio me deve 100 reais, caloteiro da peste !)

CAMISA – Qualquer camisa ou camiseta que possua mangas. Camisa Social, Camisetas Polo, Camisetas Normais, etc.

CAMISETA – Regata

CAMBITOS – Pernas finas

CANDINHERO – (ê) Variação de pronúncia de candeeiro . Aparelho de iluminação alimentado por óleo ou gás, com mecha de algodão em forma de pavio.

CANGAIA – o mesmo que cangalha

CANGALHA – pessoa com as pernas arqueadas.

CANGOTE – pescoço. (Ex. Dei um cheiro no cangote dela)

CANJICA – Cural

CÃO CHUPANDO MANGA – o bom, o cara que sabe tudo, o tal, o “tampa de Crush”, o “supra sumo”

CAPOTARIA – Tapeçaria

CAPOTE – Galinha de angola

CAPOTEIRO – seria o tapeceiro

CARECER – Precisar de

CATA-CORNO – (ver. Bacurau)

CATABIU – buraco na estrada

CATINGA – mau cheiro

CATITA – Camundongo

CATOLÉ – Variação de catulé. (Do Tupi). Palmeira cujo coco proporciona um óleo utilizado na alimentação; anajá; o fruto dessa palmeira.

CATOTA – meleca do nariz

CATUCAR – Cutucar

CAVALETE – Escada domestica

CEBOLA – Utilizada em expressão de espanto. (Ex. Tá ca cebola. Que calor da cebola).

CHAMEGAR – namorar, se esfregar no namorado (ex: Tás triste assim por que, mulher? Falta de chamego)

CHAPISCO – Aplicação de argamassa e areia (até cimento) no muro, para torná-lo áspero. A palavra se origina (onomatopéia) do ruído produzido pela colher do pedreiro ao jogar a massa até o momento em que ela (a massa) se choca com a parede.

CHAPOLETADA – pancada forte.

CHAVE ESTRELA – Chave Philips

CHEGAR – Expressão de despedida: Vou chegando , Vou chegar . Quer dizer: ir embora.

CHEGA TÔ/TÁ – Chego a estar. (Ex: Aqui tá muito quente, chega tô ficando suado. Essa manga tá bem madura, chega tá amarelinha)

CHEGUE – Venha cá

CHEGUEI(OU CHEGAY) – de corres berrantes, de gosto duvidoso.

CHEIRO – beijo

CHIFRE – Ver gaia

CHUMBREGAR – Ver sarrar

CHUNCHADA – Zumbido

CIRANDA – Dança típica do litoral pernambucano. Os participantes giram de mãos dadas, em círculo, com passo característico e cantam, repetindo um refrão, enquanto a cirandeira ou o cirandeiro canta versos memorizados de geração a geração, ou de improviso. Encontrada particularmente em locais como a “estrada de Paulista”, entre esta cidade e Olinda, e na Ilha de Itamaracá.

COCA-COLA/FANTA – gay (Ex: Fulano é coca-cola)

COMER BROCHA – passar por apuros, por dificuldades (ex: Comi brocha para mudar o pneu do carro)

COMER O CARTÃO – Ser demitido, mandado embora.

CONFEITO – Balas ou outros docinhos

CONTRA-CHEQUE – Holerith

CORTAR JACA – estimular, ajudar o namoro de amigos ou parentes

CORÔCA – lagartixa (no interior de Pernambuco)

CRÉU – utilizado quando algo é muito difícil (ex.: Eita negócio difícil do créu)

CU-DE-BOI – problema infernal, cunfusão

CUVICO – Variação de cubículo. Pequeno cômodo.

Eita Brasilzão…

Analisando a relação entre número de visitas, e a direção dessas visitas (onde VOCÊS clicam!) nós percebemos que o brasileiro gosta é de ver a zona pegar fooogo, tirinete comendo, joga açucar no formigueiro e fica olhando a merda, rir com a desgraça alheia, jogar álcool na ferida dos outros…
Nós estamos bastante orgulhosos de vocês! Isso é bom demais

‘hahahahahahahahhahaha’ /risada_do_professor_de_computação_gráfica

Tenham medo, MUITO medo!

Grávida terá direito a pensão desde o início da gestação

As grávidas terão o direito a partir de hoje de receber pensão de “pretensos pais”, mesmo que ainda não comprovada a paternidade. O direito está em projeto de lei sancionado ontem, com vetos, pelo presidente Lula. A lei será publicada hoje no “Diário Oficial” da União.

Pela lei que vigorava antes da sanção presidencial, as mulheres só podiam pedir o auxílio após o nascimento e quando comprovada a paternidade por meio de exame de DNA.

O projeto, de autoria do senador Rodolpho Tourinho (DEM-BA), foi aprovado dia 15 de julho e prevê que o possível pai seja obrigado a ajudar no pagamento de exames, remédios, entre outros itens.

O auxílio, segundo o texto aprovado pelo Congresso, seria pago até o nascimento da criança e depois revertido em pensão alimentícia. No caso de não se comprovar a paternidade, o dinheiro teria que ser devolvido pela mãe ao pretenso pai.

————-

É negão... Agora tá ruim! Agora eu pergunto: e o bambu?